segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Comodismo Invertido



Já vi muito disso, mas nunca tinha vivido a comodidade da liberdade.
Quando, finalmente, depois de tanto tempo lutando e tentando, chega o ponto final, nos afastando daquela batalha incessante e dando lugar à serenidade do descompromisso.
Estamos livres, leves, soltos.

Não temos que dar satisfações, não precisamos nos preocupar com outra pessoa, temos mais tempo para os amigos, podemos exagerar mais na bebida, estamos desimpedidos para viajar a qualquer tempo, temos mais dinheiro para nossas coisas, enfim, ficamos mais egoístas.
Acabou o relacionamento que tanto tirou a sua energia, que tanto te desmotivou, que te fez mudar o suficiente para não se reconhecer na frente do espelho. A liberdade tomou conta, nos fazendo saborear cada gostinho que ela proporciona. Cada nova experiência ou o resgate de outras passadas.
Tudo é novo, estamos nos recriando.

O problema é que, apesar de anos de tortura, existia um lado bom. Um lado suficientemente forte para que você ainda se apegue a ele, ainda tenha boas lembranças, ainda guarde sentimentos, e ainda se contorça de saudade.
O amor tem dessas. E ai de quem julgar!
A outra pessoa pode nos ter feito comer o pão que o diabo amassou, mas o beijo dela é incrível, e ela te conhece como ninguém. Te ama mais que tudo no mundo, e só não está por perto, porque cansou de lutar ao seu lado, por algo que, aparentemente, não dava mais certo.
Então, como se sentir?
Dá uma inquietação, um desespero. Porque estar sozinho, ou com várias pessoas é muito bom. Aprendemos, evoluímos, amadurecemos e nos curamos das feridas antigas, ficando no pontode se apaixonar, viver um novo amor.
Mas ainda estamos presos ao que sentimos, vivemos em eternas lembranças, não nos desprendemos como deveríamos e pensamos nele ou nela várias vezes ao dia, mesmo quando estamos tentando aproveitar a tal liberdade.

O que nos impede de voltar atrás? Sair correndo, se ajoelhar e pedir para voltar? Ligar e dizer que ainda ama?
O tal do comodismo invertido.
Nos acostumamos com a idéia de que se acabou, melhor assim, já não estava dando certo, agora está mais fácil, não precisamos tentar mais.
Nos acomodamos com o fim. E não nos preocupamos se estamos perdendo o grande amor de nossas vidas, ou se poderíamos ter nos esforçado mais. Não queremos nos dar uma segunda, terceira ou quarta chance.
Se não chegamos ao limite, por que não? Porque dá trabalho, tem que mudar muita coisa de novo, e o carnaval tá bem ai, já chegando, não queremos nos preocupar, nem criar confusão.
Enquanto muitos casais recusam se separar porque já estão acostumados um com o outro, pouco se importando se ainda existe amor,
têm gente que não está junto porque pouco importa que ainda exista amor; pois existem mil e uma outras coisas talvez mais interessantes e menos onerosas.
Daí a pessoa vai passar o carnaval aliviada, já que o fantasma dos seus medos não estará presente. Aquela complicação de fidelidade e compromisso é inexistente, seus receios estarão vencidos, dando lugar a uma certa satisfação. Mas o fantasma do amor, esse que ainda habita seu coração, a acompanhará, aonde quer que ela vá.


*

Um comentário:

Eduardo Gomes disse...

A luz apaga porque já raiou o dia
E a fantasia vai voltar pro barracão.
Outra ilusão desaparece quarta-feira.
Queira ou não queira terminou o carnaval...

Eu sou completamente contrario a dizer que se acabou o relacionamento, acabou o sentimento.
O que você sente por alguém é praticamente de graça e vai ficar com você sempre, a não ser que a outra pessoa te maltrate ao extremo.
De repente, assim sem perceber, Esse vázio se preenche de saudade, mas não daquelas avassaladoras que te fazem querer ir atrás do passado, mas aquelas reacheadas de prazer pelas coisas que você viveu e orgulho pelas escolhas que você fez.
Vez por outra você me agradece por cuidar de ti. Eu sempre digo: Não por isso.
Eu não exatamente cuido de você, apenas a apago a luz e te dou boa noite, para ter certeza de que seu sono vai ser tranquilo, pois eu tenho certeza que você sabe se virar sozinha!
Qualquer coisa, Liga nois!!!!
=p