terça-feira, 19 de novembro de 2013

Na Fila do Pão

Acho que todo mundo conhece aquele ditado que diz mais ou menos assim: você pode encontrar o amor da sua vida até na fila do pão. Bom, pode ser na fila do pão, do cinema, numa batida de carro, no coral da escola da sua irmã menor, no avião, enfim. As possibilidades são infinitas. O que importa mesmo é que você esteja aberta àquilo e bem vestida, de preferência. Um blushzinho também não mata ninguém.

Pensei nisso hoje porque algo engraçado aconteceu. Não, eu não encontrei o amor da minha vida nessa situação, porque já o encontrei no natal do ano passado (Veja bem, até em festa de natal -não curto- na casa de amigos você encontra). Mas encontrei auto estima e um sorriso no caminho do carro. (Que o amor da minha vida que encontrei no natal não leia isso, ele vai surtar).

Estava na padaria, esperando meus seis carioquinhas serem embalados. Ao meu lado, um rapaz robusto (gordinho mesmo), de all star, camiseta de caveira, cabelo loiro pro lado e uma cara de "sou inteligente, super simpático, meio nerd, um tanto mongol, mas sou legal". Percebi que ele estava olhando pra mim e do nada ele fala: tá quente hoje né? Sério? Tá quente? SÉRIO? Ok. Respondi: nossa cidade é sempre quente. Ultimamente só tem piorado. Ele sorri. Nice smile by the way. Ai ele solta: você trabalha aqui perto? E eu digo: Não. Moro por perto. E você? Ai ele se vira de frente pra mim e diz: estudo nesse cursinho aqui da frente. Você vem sempre aqui nesse horário? Se sim, podíamos tomar um café qualquer dia desses.
Então uma palavra veio na minha cabeça: Não! BRINKS! Essa também, mas a que veio de verdade foi: Autoconfiança. O guri tem sei lá, 21 anos? Eu tenho 26. Tenho cara de mais velha e ok, não sou linda, mas sou arrumadinha. Pode rir.
Respondi com um sorriso e em seguida: nunca estou por aqui nesse horário. Hoje foi uma exceção. Mas obrigada. Boa semana.

Peguei meu pão quentinho, paguei minha conta e sai para o estacionamento. Pensei que, para muitas pessoas, inclusive eu, um dia ruim poderia ter uma nova cara, por conta de algo simples e corriqueiro. Não considerei tomar o café, não me senti atraída por ele, nem nada. Mas gostei da idéia de um garoto qualquer se interessar por uma garota qualquer na fila do pão. Lugar onde você pode sim encontrar o amor da sua vida, ou simplesmente, amor.








Nenhum comentário: